A ciência ao serviço da agricultura na Europa.

A autorização de produtos fitofarmacêuticos na União Europeia é um processo cada vez mais longo e exigente, apesar dos completos estudos e vários anos de testes que precedem a apresentação de uma substância para avaliação das agências europeias.

A autorização dos produtos fitofarmacêuticos foi o mote para a reunião da ANIPLA com técnicos de associações agrícolas, no passado dia 5 de dezembro, no Monte da Caparica, com vista à informação e sensibilização para a necessidade de uma ação conjunta em prol da maior celeridade na revisão e aprovação de produtos para proteção das culturas.

Num exigente quadro regulamentar e perante a emergência de novas pragas e doenças, algumas sem forma de controlo devido a problemas de resistências ou por falta de eficácia de alguns produtos fitofarmacêuticos, a indústria e os agricultores enfrentam desafios importantes que exigem uma união de esforços para fazer valer a sua posição nas instâncias políticas nacionais e europeias.

É cada vez mais importante ter a colaboração e apoio dos técnicos e representantes dos agricultores para salvaguardarmos as soluções de proteção das culturas atuais e para que a indústria possa concentrar esforços no desenvolvimento de soluções de nova geração“, apelou a ANIPLA às diversas associações de produtores presentes.

É neste contexto que a ANIPLA organizará, em 2018, um conjunto de jornadas sobre a autorização de produtos fitofarmacêuticos que se pretende venham a ter a participação da DGAV, de técnicos e agricultores, para que em conjunto sejam discutidos os problemas do setor e encontradas soluções que continuem a garantir a competitividade da agricultura nacional.

É necessário que todos no setor conheçamos o processo (de registo) para que em momentos chave nos possamos apoiar mutuamente“, afirmou Felisbela Campos Torres, presidente da ANIPLA, no encerramento do seminário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *