biodiversidade

Todos queremos uma grande variedade de alimentos de elevada qualidade e a preços acessíveis à nossa disposição o ano todo. Queremos também uma paisagem rural próspera e ecossistemas saudáveis e diversificados. Uma população em crescimento e o aumento das exigências na agricultura apresenta à sociedade um dos grandes desafios do século XXI – produzir mais com a mesma área agrícola, protegendo a biodiversidade. Felizmente, a solução está nas nossas mãos, pois a agricultura é um componente-chave na conservação da biodiversidade, solo e água, na saúde e na produção de alimentos.

A produção sustentável de bens agrícolas suficientes, seguros e de elevada qualidade será alcançável se fizermos um uso eficaz dos recursos naturais e intelectuais disponíveis sem ignorar o poder e o valor da ciência e inovação.

Num momento de crescente interesse público na segurança alimentar e no ambiente, é fundamental largar o ceticismo e manter um espírito aberto e tolerante em matéria de inovação. Se estamos a produzir mais alimentos a preços acessíveis, mantendo os nossos ecossistemas e os serviços que eles nos prestam, devemos abraçar coletivamente a inovação e construir as nossas políticas nesse sentido.

A ciência, a investigação e o desenvolvimento proporcionaram sofisticadas soluções fitofarmacêuticas, soluções que a agricultura moderna estabeleceu como ferramentas vitais. Utilizados de forma profissional os produtos fitofarmacêuticos são eficazes no combate aos inimigos das culturas. Tendo como base fundamental a aplicação de medidas de mitigação e as boas práticas agrícolas, existem diversas estratégias que podem ser utilizadas pelos agricultores para combater os inimigos das culturas de forma efi­caz, otimizando os resultados da utilização de produtos ­fitofarmacêuticos e promovendo a biodiversidade: Práticas culturais; Produção integrada; Gestão de resistências.

Portugal tem um grande potencial para promover a produtividade sustentável na agricultura e, assim, melhorar e proteger a biodiversidade. Com gestão controlada e uma discussão fundamentada entre agricultores, técnicos, público e responsáveis políticos poderemos garantir um futuro sustentável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *