12.8 C
Lisbon
19 de January, 2020
Fito-Notícias

Portugal na rota das boas práticas, com resultados a crescer em 2016

valorfito

O Valorfito, o Sistema Integrado de Gestão de Embalagens e Resíduos em Agricultura, reuniu o sector agrícola e parceiros no passado dia 5 de Maio, em Évora, para a apresentação dos resultados de 2016 e para a entrega dos “Prémios Valorfito 2016” a quem mais contribuiu para o sucesso alcançado.

Perante uma sala cheia, o director geral do Valorfito, António Lopes Dias, abriu a sessão destacando os bons resultados deste ano, com a retoma de 53% das embalagens de produtos fitofarmacêuticos colocados no mercado, face aos 47,4% de 2015.

Também o número dos pontos de retoma aumentou no ano passado, existindo neste momento 918 locais activos no nosso país. Nas operações de 2016 os custos variáveis baixaram, devido ao novo contrato entre o Valorfito e a AMBIMED, prevendo-se a tendência de decréscimo destes custos em 2017.

“Em 2016 continuámos a crescer, e os resultados são bem visíveis. Ainda que precisemos de continuar a informação e penetração em algumas regiões do País, é notória a importância do Valorfito e o reconhecimento da sua missão a nível nacional”, referiu António Lopes Dias.

Para o médio prazo vamos procurar alargar a nossa ação a todos os resíduos produzidos pela atividade agrícola, integrando resíduos como as embalagens de adubos e dos fertilizantes, as tubagens da rega e os plásticos”, reforça.

Seguiu-se a entrega dos prémios, relevando quem mais se destacou entre os 90 pontos de retoma nomeados. No total havia 19 “prudêncios”, o nome pelo qual são conhecidas as estatuetas dos prémios, em referência à família Prudêncio, os personagens animados que desde os anos 70 ilustram a informação sobre o tema das boas práticas na actividade agrícola. Em competição estavam as categorias: ‘Quantidade e Crescimento’, a nível regional; e ‘Excelência’, ‘Investimento’, ‘Cooperativa’ e ‘Missão Impossível’, a nível nacional.

Destaque para o prémio “Missão impossível”, uma nova categoria criada em 2015, de carácter extraordinário, que visa reconhecer as iniciativas que permitam aumentar a taxa de retoma nos Distritos em que este indicador está significativamente mais baixo do que a média nacional.

Para o director geral da Valorfito, António Lopes Dias, “Este já é um momento obrigatório na nossa agenda e de todos os nossos parceiros. O Valorfito orgulha-se de premiar os Pontos de Retoma, reconhecendo o seu excelente trabalho de colaboração.

Sabemos que o sucesso do sistema depende da motivação e empenho dos Pontos de Retoma, não só para uma melhoria quantitativa e qualitativa do Valorfito, como também para a sua sustentabilidade, através da contribuição que essas funções têm no cumprimento dos objectivos a que o sistema se propõe e a que se obrigou perante a tutela.”, concluiu o responsável.

De relevar ainda o carácter social da iniciativa, uma vez que todos os premiados indicaram uma instituição de solidariedade social a quem é atribuído um cheque no valor de 250€ ou 500€.

PREMIADOS

Prémios Nacionais:

Excelência Marreiros, Lda
Investimento Marreiros, Lda
Missão Impossível J. Oliveira & Domingues, Lda; Amândio Machado & Ca.Lda;
Joaquim D. D. Comba Ribeiro; Manuel Gomes Lourenço, Lda
Cooperativa Coop. Agr. Beja e Brinches

 

Prémios Regionais:

Algarve e Ilhas Prémio Quantidade Messinagro, Lda
Prémio Crescimento Coop. Agr. Bom Pastor
Alentejo Prémio Quantidade Protejagro, Lda
Prémio Crescimento Coop. Agr. Beringel
Ribatejo Prémio Quantidade Borrego Leonor & Irmão, S.A.
Prémio Crescimento Edmundo e Almeida Domingos, Lda
Oeste Prémio Quantidade Casa Queridos, Lda
Prémio Crescimento Regaoeste, Lda
Interior Norte Prémio Quantidade Prorural, Lda         
Prémio Crescimento Pereiras & Almeida, Lda
Litoral Norte Prémio Quantidade J. Oliveira & Domingues, Lda
Prémio Crescimento A. Teixeira da Silva, Lda

 

Posts relacionados

Azeite já representa 9% do valor da produção agrícola nacional

ANIPLA

Portugal será 3.º maior produtor mundial de azeite numa década

ANIPLA

Produção de maçã deverá ser a maior das últimas três décadas, segundo o INE

ANIPLA

Deixe um comentário



Utilizamos cookies para melhorar a experiência do utilizador, personalizar conteúdo e anúncios, fornecer funcionalidades de redes sociais e analisar tráfego nos websites. Partilhamos informações com os nossos parceiros de redes sociais, de publicidade e de análise, que as podem combinar com outras informações que lhes forneceu ou recolhidas por estes a partir da utilização daqueles serviços. Consente? Mais informações sobre cookies e processamento dos seus dados pessoais, consulte a nossa Politica de Privacidade.

Aceitar Ler mais