15.2 C
Lisbon
27 de January, 2020
Fito-Notícias

Portugueses gastaram mais em produtos frescos

Os portugueses gastaram mais dinheiro em produtos perecíveis no primeiro trimestre do ano. Esta categoria foi a terceira que mais cresceu em vendas quando comparado com o mesmo período de 2016, registando uma evolução de 4,4%. As bebidas (10%) e os congelados (5,4%) foram os produtos com maior crescimento no consumo.

Os dados constam de um relatório da Associação Portuguesa das Empresas de Distribuição (APED), que dá conta de um aumento global nas vendas de produtos alimentares no comércio moderno e tradicional. Os consumidores desembolsaram 5.250 milhões de euros nos hiper e supermercados, um aumento de 3,3% face aos 5.072 milhões de euros registados no primeiro trimestre do ano passado.

O consumo de produtos frescos, incluindo frutas e legumes, em detrimento de alimentos muito processados, está em crescimento, sobretudo, entre as gerações mais novas. Um estudo feito este ano pelo núcleo empresarial AgroCluster Ribatejo – “Tendências de Consumo: geração Y – Millennials” – revela isso mesmo: os millennials (os indivíduos que nasceram entre 1980 e 2000) estão cada vez mais sensíveis à composição dos alimentos, procurando “alimentos frescos e naturais”.

Posts relacionados

Azeite já representa 9% do valor da produção agrícola nacional

ANIPLA

Portugal será 3.º maior produtor mundial de azeite numa década

ANIPLA

Produção de maçã deverá ser a maior das últimas três décadas, segundo o INE

ANIPLA

Deixe um comentário



Utilizamos cookies para melhorar a experiência do utilizador, personalizar conteúdo e anúncios, fornecer funcionalidades de redes sociais e analisar tráfego nos websites. Partilhamos informações com os nossos parceiros de redes sociais, de publicidade e de análise, que as podem combinar com outras informações que lhes forneceu ou recolhidas por estes a partir da utilização daqueles serviços. Consente? Mais informações sobre cookies e processamento dos seus dados pessoais, consulte a nossa Politica de Privacidade.

Aceitar Ler mais