13.3 C
Lisbon
17 de January, 2020
Fito-Notícias

Portugal e Espanha unidos na recuperação da floresta pós-incêndios

Várias entidades de Portugal e Espanha vão promover o “LIFE REFOREST – Prevenção de erosão e recuperação de áreas florestais queimadas através de uma solução inovadora de fungos e tecnossóis”.

O CETIM, Centro Tecnológico de Investigação Multissetorial especialista em Eco Bio Tecnologias (área em que se irá desenvolver o projeto) é o líder do consócio que integra também a FORESTIS – Associação Florestal de Portugal, UA – Universidade de Aveiro, Associação Florestal de Galicia (AFG), Hifas da Terra, os Indutec Ingenieros e Tratamientos Ecológicos del Noroeste (TEN TECNOSUELOS).

O projeto, financiado pela Comissão Europeia no valor de cerca de 1,5 milhões de euros, ao abrigo do programa Life, no âmbito da área prioritária Ambiente & Eficiência de Recursos, inicia-se em julho e inclui ainda entidades espanholas.

Com a duração de 36 meses, a partir do seu lançamento dia 31 de julho, o projeto tem o objetivo de apresentar novas estratégias para combater a perda de solo associada a episódios pós-fogo em áreas florestais, aplicando um tecnossol baseado em resíduos orgânicos inoculados com espécies de fungos (micotecnossol), por forma a evitar a erosão do solo e aumentar a regeneração natural de áreas florestais queimadas.

No seu site oficial, a FORESTIS explica que o projeto será desenvolvido em duas das áreas do sul da europa mais afetadas pelos incêndios florestais, Noroeste de Espanha e Portugal, onde a estratégia Life Reforest será validada através da implementação e validação de duas áreas piloto.

Do mesmo modo, “o projeto contribuirá para o desenvolvimento e implementação de políticas europeias em relação ao meio ambiente, proporcionando uma nova solução para atingir os objetivos ambientais e climáticos estabelecidos pela União Europeia, em consonância com a Estratégia Temática sobre os Solos, a Estratégia Florestal e as diretivas relacionadas com a contaminação dos corpos de água.”, frisa a mesma entidade.

 

Posts relacionados

Azeite já representa 9% do valor da produção agrícola nacional

ANIPLA

Portugal será 3.º maior produtor mundial de azeite numa década

ANIPLA

Produção de maçã deverá ser a maior das últimas três décadas, segundo o INE

ANIPLA

Deixe um comentário



Utilizamos cookies para melhorar a experiência do utilizador, personalizar conteúdo e anúncios, fornecer funcionalidades de redes sociais e analisar tráfego nos websites. Partilhamos informações com os nossos parceiros de redes sociais, de publicidade e de análise, que as podem combinar com outras informações que lhes forneceu ou recolhidas por estes a partir da utilização daqueles serviços. Consente? Mais informações sobre cookies e processamento dos seus dados pessoais, consulte a nossa Politica de Privacidade.

Aceitar Ler mais