Fito-Entrevista: Os desafios à produção agrícola por Constança Matos

Constança Matos, Estudante de Enfermagem

SEPARADOS NA ATIVIDADE, UNÂNIMES NA PREOCUPAÇÃO PARA COM O FUTURO DA ATIVIDADE AGRÍCOLA.

Uma engenheira agrónoma e uma estudante universitária de enfermagem, partilham a sua visão sobre os desafios à produção agrícola na atualidade, tomando como ponto de partida o estudo que a ANIPLA realizou em parceria com a Universidade Católica.

O Centro de Estudos Aplicados (CEA) da Universidade Católica Portuguesa, em parceria com a ANIPLA, realizou um estudo à população portuguesa adulta para aferir o seu conhecimento quanto às realidades da produção agrícola. Uma das conclusões indica que 93% dos inquiridos não sabe que a produção alimentar global precisa de aumentar 60% até 2050.

Esta semana lançámos novamente o desafio dentro e fora do sector, para que os dois entrevistados pudessem refletir sobre este e outros resultados do inquérito. Esta semana escutamos a perspetiva da sociedade civil, pelas palavras de Constança Matos, uma jovem estudante universitária de enfermagem. Na semana passada escutámos Teresa Zacarias, engenheira agrónoma, atualmente assessora técnica da Casa do Azeite [recorde aqui].

 

1. Na sua opinião os consumidores têm consciência de que para alimentar toda a população mundial será preciso aumentar a produção de alimentos em 60% até 2050?

Creio que não, até porque é mais comum ouvirem falar de desperdício alimentar do que de excesso de alimentos.

2. Considera que há um distanciamento entre o setor agrícola e os consumidores? O que poderia contribuir para uma maior proximidade e informação?

Sim, julgo que os consumidores sabem pouco sobre os agricultores e aquilo que fazem. Acredito que terão que ser ações com impacto, pelo que a informação deveria ser passada nas escolas e em campanhas públicas.

3. A falta de produção de alimentos e o aumento do seu custo causados pelos efeitos das alterações climáticas (ex: seca, inundações, aumento da temperatura, etc.) preocupam-no?

Penso que a falta e o aumento do custo dos alimentos é uma preocupação de todas as pessoas. Se as alterações climáticas estão ligadas e prevê-se que estas sejam cada vez mais fortes, então creio que precisamos de encontrar respostas diferentes.

4. Os portugueses revelam preferir alimentos biológicos, mas desconhecem a forma como são produzidos. É preciso melhorar a informação ao consumidor?

Acho que os consumidores preferem os alimentos que acreditam que são mais saudáveis e com melhor impacto na sua saúde. É preciso assegurar que os produtos vêm todos com toda a informação necessária para que possamos saber o que estamos a comer e tomar decisões conscientes.

5. Consumir produtos sazonais (da época) ou locais faz parte das preocupações diárias dos consumidores?

Creio que consumir produtos da época é algo bom, porque acabamos por comer frutos que acreditamos estarem mais frescos. Os produtos locais têm sempre um “peso” psicológico, mas também gosto de saber que posso encontrar produtos de outras regiões do mundo e ter variedade para escolher. De modo geral, não acredito que esta seja uma preocupação diária mas sim espontânea quando encontramos este tipo de produtos à venda.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *