Mafalda Rodrigues de Almeida | Nutricionista e Autora do Loveat

MITOS NA ALIMENTAÇÃO

O blog Fitosintese entrevistou a nutricionista e autora do Blog Loveat, Mafalda Rodrigues de Almeida, sobre alguns mitos sobre a alimentação e como explicá-los da melhor forma. A Entrevista decorre de forma a deixar-nos sem dúvidas sobre o que ouvimos falar com ou sem fundo de verdade. Conheça os Mitos mais comuns.

1. MITO ou VERDADE: Os aditivos alimentares podem estar a deixar-nos intoxicadas?

De uma forma geral, os aditivos alimentares são bastante regulamentados e a quantidade que ingerimos em cada produto, não tem um impacto nocivo na nossa saúde. No entanto, é importante salientar que os alimentos base de uma alimentação saudável não devem precisar de quaisquer aditivos alimentares. Falamos de legumes, fruta, carne, peixe, leguminosas, cereais integrais e sementes. Devemos procurar um equilíbrio alimentar em que consumimos maioritariamente alimentos frescos, não processados, e uma pequena parte de alimentos que podem ter aditivos alimentares como conservantes ou antioxidantes. Assim garantimos que não existe mesmo o risco de intoxicação.

2. MITO ou VERDADE: Antigamente comíamos melhor?

Em termos de segurança alimentar, antigamente comíamos pior, tínhamos mais intoxicações alimentares por bactérias, fungos e parasitas e um risco de transmissão de doenças através dos alimentos e da água muito maior. Hoje em dia, esse risco é muito menor, mas, devido à disponibilidade de produtos alimentares mais processados, ricos em açúcar, sal e gorduras saturadas, a qualidade nutricional da nossa alimentação é um pouco pior que a dos nossos avós. Como em tudo, é preciso atingir um equilíbrio.

3. MITO ou VERDADE: O que é biológico é mais saudável?

Quando comparamos o que é ou não biológico temos de o fazer olhando para o método de produção e para as necessidades a que respondem. A agricultura dita “em massa” é o aquela que, actualmente, permite responder às necessidades da população. A agricultura biológica, sendo igualmente um método seguro e responsável de produção, tem ainda um longo caminho a percorrer, contando já com diversos ensaios que, pese embora não permitam afirmar inequivocamente os seus benefícios, demonstram alguns : como a relação com a diminuição de ocorrência de alergias alimentares em crianças ou que a ausência de três vezes menos quantidade de cadmio, um dos três metais pesados mais tóxicos. Os alimentos biológicos são cada vez mais estudados no sentido de se perceber se apresentam maiores concentrações de nutrientes e menores concentrações de resíduos tóxicos. Claro que comparados com a agricultura em massa, que recorre a diversos e necessários fertilizantes, os produtos de origem biológica possuem menos resíduos, nomeadamente nitratos. No entanto, ainda são precisos mais estudos para que se possa concluir se são, ou não, mais saudáveis.

4. MITO ou VERDADE: Será que as dietas detox funcionam?

As dietas detox podem assumir vários formatos. Podem ser feitas com sumos, sopas, sumos e sopas, sem hidratos de carbono, com mais açúcar, etc… O que se sabe é que o conceito convencional de detox não faz grande sentido, pois o nosso organismo não se desintoxica mais por ingerir sumos durante 3 dias. A desintoxicação é feita diariamente pelo fígado e pelos rins de forma natural, sempre que encontram toxinas no corpo que devem ser eliminadas. Durante estas dietas existe uma grande restrição calórica, devido à redução drástica de ingestão de alimentos variados, pelo que o que o corpo perde é maioritariamente água retida e desincha, dando a sensação de elevados níveis de emagrecimento. No entanto, ao reduzir a variedade dos alimentos ingeridos, acaba por existir uma elevada ingestão de açúcar, proveniente das frutas utilizadas em cada sumo, sem haver ingestão de fruta verdadeiramente, o que não é propriamente saudável para o organismo. Fazer um detox com sumos funciona para perder 1 ou 2 Kg no imediato, mas não podemos dizer que seja uma perda de peso sob a forma de gordura corporal, como seria de esperar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *