Vinhas na cidade. Vários exemplos vencedores de medalhas

A cidade está a chamar o campo para junto de si. É o caso de Lisboa, que, depois de ter aproveitado o território disponível com os parques hortícolas, prados, cereais, entre outras variedades, apostou na vinha.

Cultivada há três anos pela Casa Santos Lima, num terreno sem utilidade, perto da rotunda do relógio, a vinha deu finalmente os seus frutos em setembro do ano passado, numa colheita que acabou por ser premiada. O vinho (cerca de 10 mil garrafas) “Corvos de Lisboa”, da casta Arinto, recebeu a medalha de ouro no concurso de vinhos de Portugal, da ViniPortugal, entre mais de 1300 vinhos.

Esta é uma vinha que cumpriu os objetivos traçados, em 2015, quando a Câmara Municipal de Lisboa cedeu o terreno de dois hectares, com vista para o aeroporto de Lisboa, à Casa Santos Lima: produzir vinho, que irá ser servido nas recepções da Câmara, mas também ensinar os mais novos e mostrar aos turistas o que é uma vinha, sobretudo à distância de 20 minutos do centro da capital.

Com o rio Tejo a avistar-se, portanto exposta a sul, está a Tapada da Ajuda, onde se encontra outra vinha urbana. Igualmente gerida pela Casa Santos Lima, em parceria com o Instituto Superior de Agronomia, esta vinha estende-se por uma área de 1,7 hectares, de onde saíram, em 2015, 10 toneladas de uvas, o suficiente para mais de 10 mil garrafas.

Belém, Benfica, Luz, Carnide, Lumiar, Odivelas e Poço do Bispo aparecem em documentação de 1868, como as principais zonas vinícolas à volta da capital. Em finais do século XIX, Carcavelos, Colares e Bucelas integram um triângulo de luxo na produção de vinho. Porém, a urbanização e a criação das cooperativas fizeram muitas vinhas na região de Lisboa desaparecer.

Uma vinha resistente foi a de Carcavelos que produz um vinho licoroso, como o Vinho do Porto, cabendo-lhe a Denominação de Origem Controlada (DOC). Situada entre a freguesia de Carcavelos, nos concelhos de Cascais e Oeiras, esta que é considerada a mais pequena região vinícola portuguesa, remonta ao tempo do Marquês de Pombal com êxito, como provam as muitas medalhas conquistadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *