12.8 C
Lisbon
19 de January, 2020
Fito-Notícias

Como alimentar mais pessoas com menos alimentos?

A pergunta tem sido colocada pelo sector agrícola, pela indústria, pela ciência, pelo mundo académico, pelas organizações mundiais como a FAO; mas continua sem resposta.

A plataforma Debating Europe volta a trazer o tema para a agenda do dia, e abre um espaço para a partilha de perspetivas ao tema.

“Em 2050, o mundo vai precisar de produzir comida suficiente para alimentar 10 mil milhões de pessoas”, refere a plataforma na sua página. Tal situação requer o aumento em 70% da quantidade de alimentos produzidos atualmente, contando com, segundo a FAO, a perda anual de cerca de cerca de 40% das culturas, devido a pragas, doenças e infestantes.

Os cidadãos europeus têm vindo a “despertar” para o assunto, trazendo múltiplas questões em paralelo, e medos alimentados pelo desconhecimento que a população parece ter tanto da realidade agrícola, quanto da severidade das necessidades de alimentos para um futuro próximo, como destacou este estudo aos europeus.

A preservação do ambiente, num planeta de recursos limitados, é também um assunto de grande preocupação para o sector agrícola, que tem investido em práticas sustentáveis e de grande precisão.

Leia mais sobre este assunto, e participe no debate.

Posts relacionados

Azeite já representa 9% do valor da produção agrícola nacional

ANIPLA

Portugal será 3.º maior produtor mundial de azeite numa década

ANIPLA

Produção de maçã deverá ser a maior das últimas três décadas, segundo o INE

ANIPLA

Deixe um comentário



Utilizamos cookies para melhorar a experiência do utilizador, personalizar conteúdo e anúncios, fornecer funcionalidades de redes sociais e analisar tráfego nos websites. Partilhamos informações com os nossos parceiros de redes sociais, de publicidade e de análise, que as podem combinar com outras informações que lhes forneceu ou recolhidas por estes a partir da utilização daqueles serviços. Consente? Mais informações sobre cookies e processamento dos seus dados pessoais, consulte a nossa Politica de Privacidade.

Aceitar Ler mais